Arqueologia

  • As “Contas Longas” de vidro como elemento de identidade dos africanos no passado histórico e cultural de Lisboa

    De meados do século XV ao Terramoto de 1755

    Maria da Conceição Rodrigues

    U.Porto Edições, 2014

    Apresenta o resultado do estudo efetuado em laboratório tendo por base um conjunto de contas “longas de vidro”, provenientes de intervenções arqueológicas havidas nos vestígios de núcleos urbanos destruídos aquando do terramoto de 1755, em Lisboa.
    Estas intervenções arqueológicas efectuadas por equipas de Arqueólogos do grupo de museus da Câmara Municipal de Lisboa documentam e revelam o interesse que o subsolo da Lisboa antiga, dita “Pré-Pombalina”, tem vindo a despertar para salvaguarda e valorização da informação histórica que a cidade de Lisboa encerra.
    A presença deste tipo de exemplares revela que os africanos trazidos como escravos, nomeadamente da costa Ocidental da África, desde meados do século XV até ao Alvará Régio de Setembro de 1761, as usariam como elemento identitário.
    Com este estudo procura-se, entre outros aspectos, enquadrar este conjunto de contas nas vivências sociais e culturais de Lisboa, de meados do século XV até ao terramoto de 1755, tendo em atenção os locais de recolha, a par dos dados arqueohistóricos que foi possível definir, adaptando a cronologia dos acontecimentos que possibilitaram também estabelecer algumas das prováveis causas da sua presença na Lisboa renascentista até meados do século XVIII.

  • A Coleção de Vasos Gregos da Universidade do Porto

    Maria Helena Rocha Pereira

    U.Porto Edições, 2013

    Catálogo da exposição permanente da Coleção de Vasos Gregos do Museu de História Natural da Universidade do Porto - um conjunto de doze vasos oriundos da Grécia Antiga (séculos IV, V e VI A.C), de formas diversas e representativos dos principais estilos decorativos -, patente no edifício da Reitoria. Reconstituem-se aqui os acontecimentos que permitiram a guarda dos doze vasos gregos pela U.Porto e faz-se a contextualização histórica das peças, bem como a sua descrição minuciosa. Percebe-se assim a valia patrimonial dos vasos e adquire-se uma noção mais clara do impacto da cultura helénica no desenvolvimento da humanidade.

  • Portvgalia, Volume 29/30

    2008/2009

    Faculdade de Letras da U. Porto (FLUP), 2010

    Volume duplo da revista PORTVGALIA, encerrando artigos de Pré-História (Arte Megalítica do Noroeste, Arte Rupestre transmontana de Alijó, Sítio pré-histórico de Castanheiro do Vento, Tranchets da Idade do Bronze), de Proto-História (balneário castrejo do castro de Eiras), de Época Romana (cerâmica branca de Monte Mozinho), da Idade Média (triente de Égica aparecido em Chaves, conjunto de esporas medievais de Vilar de Frades, povoamento medieval entre Miranda do Douro e o Sabugal) e de Época Moderna e Contemporânea (actividade cesteira em Penafiel)."

  • Importância Arqueohistórica da Gruta de Riane

    Província de Nampula - Moçambique

    Maria da Conceição Rodrigues

    Editora UP, 2008

    Apresenta os resultados de um estudo efectuado em gabinete tendo por base os diferentes testemunhos arqueológicos fornecidos pela intervenção na gruta de Riane, localizada no Norte de Moçambique, Nampula, em 1946, durante a 4ª. Campanha da Missão Antropológica de Moçambique (MAM), da antiga Junta de Investigações do Ultramar (JIU), chefiada pelo Prof. Santos Júnior. O arqueossítio em estudo terá sido utilizado por grupos de caçadores-recolectores desde os finais da Middle Stone Age (MSA). O estudo procura, entre outros aspectos, evidenciar as influências que cercam cada comunidade num espaço restrito, a par das tradições e cultura.

    Índice

    Imagem da capa para download

    Título disponível para bibliotecas na Ebrary