Novidades

  • Mecânica dos Fluidos em Operações Unitárias

    João Moreira de Campos

    U.Porto Edições, 2017

    Na primeira obra que publiquei, denominada “Notas para o estudo da Mecânica de Fluidos”, a qual foi editada pelas Edições FEUP, abordei os princípios clássicos do escoamento de fluidos. Procurei que essa obra respondesse às necessidades de um curso que tenha como objetivo fornecer aos seus alunos conceitos básicos sobre o tema, providenciando-lhes, de igual modo, capacidades para a sua aplicação. Nesta segunda obra, proponho-me a complementar as ferramentas anteriormente fornecidas, dando especial ênfase à importância da Mecânica de Fluidos no projeto de diversos equipamentos de processos unitários, bem como no projeto dos seus elementos de ligação: redes de transporte de fluidos compressíveis e incompressíveis, equipamentos de bombagem, leitos fixos, leitos fluidizados, sedimentadores, filtros industriais, elutriadores, centrifugadoras e ciclones. Muitos dos temas que me proponho a abordar são transversais a diversos cursos na área das Engenharias, mas são particularmente importantes nas Engenharias Química, do Ambiente e Biológica.

  • Seaports in the First Global Age

    Portuguese Agents, Networks and Interactions (1500-1800)

    Amélia Polónia

    Cátia Antunes

    U.Porto Edições, 2016

    The rise of the First Global Age is an achievement traditionally understood as part of an ongoing process that started during the fifteenth century with the beginning of the Portuguese overseas expansion, followed by the Spanish, the Dutch, the British, the French and, later on, the Swedish and the Danish. Within this understanding, the greatest contribution of the Portuguese to the history of globalization was not so much the unravelling of the maritime route to Asia or the arrival in Brazil, but the transformation of bilateral contacts into multilateral and multilayered relationships in different parts of the world (Russell-Wood). These relationships between Europeans, Africans, Americans and Asians grew exponentially in the sixteenth century and created global networks that served as liaison between an ever-growing number of seaports. Maritime circuits and port cities became the perfect interface in which different networks, economic systems, institutional set-ups and political power games were played. Port cities all over the world left their role as regional players to become world cross-cultural gateways. This book intends to underline the importance of the changes some ports, marked by the Portuguese presence, went through because of the connections promoted by a world-wide transformative exchange. The book brings to the fore a multi-focal approach designed to underline phenomena that derive from morphological and environmental aspects, to economic dynamics, social transformations, cultural and religious practices.

  • A Guerra Fria em Manuais de História Europeus

    Cristina Maia

    U.Porto Edições, 2016

    A representação de nós e dos outros encontra-se muitas vezes associada à História que nos foi ensinada, em que o Manual Escolar tem um papel fulcral enquanto recurso de ensino-aprendizagem. Esta obra desenvolve um estudo comparativo do ensino da Guerra Fria em várias áreas da Europa - Europa Ocidental, Europa do Norte e Europa de Leste -, entre o período final da Guerra Fria, década de 1980, e o pós-Guerra Fria, década de 1990. Os objetos centrais deste estudo foram os Manuais Escolares de História de 17 países europeus e, sempre que foi possível, também os seus Programas Escolares. Trata-se de uma investigação pioneira em Portugal, sobretudo pela sua abrangência geográfica, diversidade política e linguística, e tratamento de um acervo documental inédito ou pouco conhecido em Portugal, sediado no Georg Eckert Institut (Alemanha). O estudo encontra os seus interesses no cruzamento entre a História da Educação e a Educação Histórica, elegendo a formação das competências históricas como a sua preocupação e averiguando o contributo do Manual Escolar na formação dos futuros cidadãos. No ponto de chegada desta viagem trazemos à luz o uso da História de forma bem diferenciada entre três regiões da Europa, geograficamente e politicamente diferentes. Podemos afirmar que a História, para além da sua vocação científica, também pode ter uma função terapêutica e até militante, este último aspeto constatado nas manipulações da história da Guerra Fria.

  • Bordalo Pinheiro

    170 anos depois

    U.Porto Edições, 2016

    Catálogo da exposição “Bordalo Pinheiro: 170 anos depois por alunos de Belas Artes”, patente no Edifício da Reitoria da Universidade do Porto, em julho e agosto de 2016. Integrada nas comemorações dos 170 anos do nascimento de Rafael Bordalo Pinheiro, esta exposição inédita reuniu cerca de duas dezenas de trabalhos em vidro e cerâmica, produzidos por estudantes dos diferentes ciclos de estudo da Faculdade de Belas Artes da U.Porto (FBAUP), que apresentaram a sua interpretação pessoal da obra do artista. A mostra foi comissariada por Teresa Almeida e Leonor Dupic.

    Reconhecido essencialmente pelo seu trabalho como caricaturista, Rafael Bordalo Pinheiro (1846 – 1905) deixou também uma vasta obra como ceramista. É essa faceta que aquela exposição deu a conhecer.

    A exposição resulta de uma organização conjunta da Unidade de Cultura da Reitoria da U.Porto e da FBAUP, com o apoio da Museu Bordalo Pinheiro.

  • Seis Breves Apontamentos de Cosmologia Contemporânea

    Orfeu Bertolami

    Jorge Páramos

    U.Porto Edições, 2016

    A Cosmologia é uma das mais pujantes áreas da investigação da Física contemporânea. Mobiliza vastos recursos teóricos e experimentais: estes materializam-se em missões espaciais, programas observacionais que visam compilar catálogos astronómicos com uma extensão jamais vista, e recursos de computação e simulação que estão no limite das capacidades hodiernas em termos de complexidade, armazenamento e manipulação de dados. Esta riqueza de implicações só é possível graças à maturidade teórica que a Cosmologia atingiu nas últimas décadas. Nesta breve introdução à Cosmologia Contemporânea, os aspetos observacionais e teóricos mais salientes da ciência do Universo são descritos e teorizados. Tendo como ponto de partida a Teoria da Relatividade Geral, o livro discute a história térmica do Universo, a necessidade de um período primordial de expansão acelerada, a inflação, as propriedades mais marcantes da radiação cósmica de fundo, a problemática da matéria e da energia escura, e a hipótese de construção de descrições cosmológicas alternativas com base em teorias da gravitação que não as baseadas na Relatividade Geral. Os temas abordados fazem deste livro uma obra particularmente útil para um curso introdutório de Cosmologia.

  • Pesos e Porções de Alimentos

    Ana Goios

    Margarida Liz Martins

    Ana Carolina Oliveira

    Cláudia Afonso

    Teresa F. Amaral

    U.Porto Edições, 2016

    A avaliação da ingestão alimentar requer a quantificação da porção de cada alimento consumido. Obteve-se a porção média de alimentos, a partir de pesagens efetuadas por um grupo constituído por cinco nutricionistas, utilizando alimentos nacionais e importados, disponíveis no mercado no Norte de Portugal. Este manual, desenvolvido com o objetivo de facilitar a quantificação de alimentos, fornece uma alternativa atualizada, rápida e viável à pesagem de uma grande variedade de porções de alimentos. Para além da inclusão de novos alimentos e de novos grupos de alimentos, a presente edição deste manual visa também atualizar alguma informação recolhida na 1ª edição.