Novidades

  • E, contudo, elas movem-se!

    Mulheres e ciência

    Marinela Freitas

    Ana Luísa Amaral

    U.Porto Edições, 2019

    Este é um pequeno livro com nomes, vida e poemas. Nomes de mulheres cientistas portuguesas, notas sobre a sua vida, imagens e palavras suas. E, a seu lado, palavras de poetas portugues@s contemporâne@s que as homenageiam ou homenageiam simplesmente o gesto mesmo de rebeldia que foi o de estas mulheres desafiarem e ultrapassarem os limites culturalmente associados ao seu sexo. Partindo da célebre exclamação que Galileu terá proferido perante o tribunal da Inquisição E pur, si muove!, pretende-se assim assinalar contributos das mulheres na área das Ciências, destacando o seu pioneirismo e sublinhando os obstáculos que elas tiveram de ultrapassar para serem admitidas e (re)conhecidas no contexto académico e/ou profissional, tradicionalmente dominado por uma lógica patriarcal.

    In “Introdução”, Ana Luísa Amaral e Marinela Freitas

  • Maputo. (auto) organização e forma-dinâmica urbana

    David Leite Viana

    U.Porto Edições, 2019

    Este livro apresenta uma nova abordagem na análise morfológica – a metodologia Trac(k)ing – e estuda Maputo através da sua aplicação, com métodos qualitativos e quantitativos que descrevem a influência da configuração urbana na vida social. A apropriação é mapeada no continuum espacial, identificando padrões e tornando explícita a correlação entre relações espaciais, a perceção e os sistemas da capital moçambicana. É revelada a interdependência entre atividades, tecido urbano e malha viária em novas cartografias daquela cidade, traduzindo uma visão crítica do paradigma dominante no planeamento urbano. É indicado como combinar diferentes procedimentos no estudo da urbanização em Maputo considerando os contrastes socio-morfológicos que revela. Da questão central do livro — Como se ajustam instrumentos formais de análise urbana a processos informais de transformação da forma urbana? — resulta uma aproximação à morfologia urbana que a equaciona a partir da respetiva auto-organização e forma-dinâmica, expressas no diálogo entre estruturas planeadas e contextos de informalidade.

  • Pesos e Porções de Alimentos- 3.ª ed.

    Ana Goios

    Margarida Liz Martins

    Ana Carolina Oliveira

    Cláudia Afonso

    Teresa Amaral

    U.Porto Edições, 2019

    A avaliação da ingestão alimentar requer a quantificação da porção de cada alimento consumido. Obteve-se a porção média de alimentos, a partir de pesagens efetuadas por um grupo constituído por cinco nutricionistas. À semelhança da segunda, a presente edição do manual resulta da necessidade de adicionar novos alimentos e de reformular alguns valores de alimentos já apresentados. Adicionalmente, são apresentadas outras formas de apresentação, visando responder às necessidades demonstradas por utilizadores das edições anteriores, nas diferentes áreas de aplicação deste manual.

  • O Bairro da Tabela Periódica

    Manuel João Monte

    U.Porto Edições, 2019

    "Cheio de surpresas curiosas e revelações fascinantes, este texto denuncia também a evidência de que, até nos elementos, conseguimos discriminar o género feminino. E, de forma subtil, enquanto transmite noções fundamentais da química deixa-nos entretidos. Enjoy it as I did!"
    Alexandre Quintanilha

    "Manuel João Monte sonhou estes mesmos elementos, que hoje já são 118, arrumados nos seus quatro blocos para discutir as suas diferentes afinidades e antagonismos. É da diversidade que se faz a Química e também este mundo onde vivemos e de que somos feitos nós próprios. A Química dá força a um argumento que junta os dramas da vida humana com o grande drama da natureza."
    José Ferreira Gomes

    "Há um bocado de tudo, desde referências ao Big Bang e à matéria escura, a uma interessante discussão sobre a dicotomia de identidade-efemeridade dos elementos radioativos e transuranianos ... Por tudo isto e muito mais, “O Bairro da Tabela Periódica” de Manuel João Monte, é um texto de muito grande valor pedagógico e que merece uma leitura atenta."
    Orfeu Bertolami

  • Um Pouco Mais de Luz. Explicando o Eletrochoque

    Jorge Mota

    U.Porto Edições, 2019

    “Que a eletricidade tem a ver com a vida já se sabe desde o tempo da disputa entre Galvani e Volta no século XVIII. No início do século XIX o romance “Frankenstein” de Mary Shelley foi influenciado por experiências de descargas elétricas em cadáveres. Mas foi só no século XX, em 1938, que foram feitas, pelo neuropsiquiatra italiano Ugo Cerletti, as primeiras experiências em humanos. Seguiram-se muitas outras, perante a dificuldade de outros tratamentos de doenças mentais, mas a prática foi sempre controversa. O filme “Voando sobre um ninho de cucos” de Milos Forman, baseado num romance com o mesmo título, ilustra bem essa controvérsia, que teve amplo fundamento. No entanto, o uso da eletricidade como meio terapêutico em certas doenças mentais ressurgiu recentemente. O Dr. Jorge Mota, médico psiquiatra no Hospital Magalhães Lemos no Porto, e especialista na eletroconvulsoterapia (ECT), a técnica mais corrente na área, explica neste livro, depois de uma excelente introdução histórica, os principais conceitos da técnica assim como descreve os seus resultados positivos em doenças como depressões severas, manias, psicoses esquizofrénicas e catatonias. Sempre me interessei pelas relações entre a física e a medicina e aprendi bastante neste livro, em particular que os eletrochoques, se aplicados com adequado critério (consentimento informado, anestesia, etc.), em equipamento certificado e por especialistas experientes, não merecem hoje a má fama que no passado tiveram por via da sua indiscriminada aplicação. Aprendi também que há ainda bastante para aprender: ainda não se conhecem os mecanismos precisos que levam à sua eficácia.” Carlos Fiolhais (Professor de Física da Universidade de Coimbra)

  • 100 Anos de Relatividade Geral

    José Carlos Santos

    João Nuno Tavares

    U.Porto Edições, 2018

    A 25 de Novembro de 1915, Albert Einstein publicou uma nota de apenas quatro páginas numa revista da Academia de Ciências da Prússia. É um texto curto mas, apesar do escasso tamanho, o seu impacto foi monumental, pois contém o culminar do trabalho que o seu autor vinha a desenvolver há vários anos: a formulação das equações de campo da Teoria Geral da Relatividade. Cem anos mais tarde, em Novembro de 2015, os Centros de Matemática e de Física da Universidade do Porto organizaram uma sessão comemorativa relativa a esse evento. Os textos reunidos neste livro foram escritos pelos autores de várias das palestras desse encontro, que quiseram fazer uma versão escrita da apresentação que fizeram naquela ocasião.

  • Análise de Projetos de Investimento

    Maria Dulce Soares Lopes

    U.Porto Edições, 2018

    O livro inclui a identificação das áreas principais de análise de um projeto, financeiras e não-financeiras, e seus factores de risco; a estrutura-tipo de um plano de negócios, e guia de elaboração dos mapas de apoio; a análise e identificação dos cash flows de um projeto; os critérios de decisão e sua aplicabilidade; a determinação do custo de capital; e, por último, as metodologias para incorporação de incerteza e risco na análise. Tem como finalidade principal servir de apoio a cursos introdutórios sobre análise de projetos de investimento: cursos de primeiro ciclo no âmbito de ciências económicas ou empresariais, e de segundo ciclo ou mestrados no âmbito de cursos de engenharia. Os capítulos relativos ao custo de capital e à incerteza e risco podem também ser usados para cursos de nível mais avançado. A obra dirige-se ainda a um público mais vasto, em particular no âmbito da formação contínua das empresas, para quadros médios ou superiores sem formação financeira de base, que exerçam funções na área de projetos de investimento e estejam envolvidos na elaboração de planos de negócios.

  • Traumatismos Crânio-Encefálicos. Questões essenciais na prática clínica

    Rui Vaz

    U.Porto Edições, 2018

    Em 1991 e 1996 editei duas monografias sobre Traumatismos Crânio-Encefálicos que foram distribuídas a nível nacional. Considerei na altura que era importante um texto facilmente disponível que resumisse as bases de conhecimento sobre o tema e incluísse bem definidas regras de orientação clínica, essenciais na primeira abordagem clínica de uma patologia que, infelizmente, continua a ser demasiado frequente e a destruir demasiadas famílias pela mortalidade e incapacidade que provoca. Entretanto muita coisa se modificou no conhecimento do assunto: as causas alteraram-se, há um maior conhecimento das bases fisiopatológicas, os métodos diagnósticos evoluíram e a orientação terapêutica está melhor definida. Estes motivos levaram-me a considerar a utilidade e a importância da atualização nesta área do conhecimento, adaptando-as monografias ao “estado da arte”. Optei agora por incluir novos capítulos específicos dedicados aos TCE nos doentes sénior e no desporto, dando também uma muito maior ênfase aos TCE ligeiros, à subvalorizada síndrome pós-traumática e aos aspectos essenciais no diálogo com os familiares destes doentes.